21ª Festa do Carneiro no Buraco em Campo Mourão


A iguaria foi criada em 1962 (durante o período de disputa da Copa do Mundo no Chile) por três pioneiros da cidade, depois de assistirem a um filme em que vaqueiros preparavam alimentos sobre brasas, dentro de um buraco cavado no chão. Ênio Queiroz, Joaquim Teodoro de Oliveira e Saul Ferreira Caldas – todos já falecidos – resolveram experimentar o peculiar sistema, mas as primeiras tentativas foram frustradas. Ora os ingredientes não ficavam cozidos, ora era impossível consumir por estar impregnado pela fumaça. Também não foi fácil acertar a melhor combinação entre legumes, tubérculos, condimentos, carne e até fruta. Mas valeu a curiosidade e persistência. 



No início servido esporadicamente apenas em festas de amigos, o prato foi ganhando fama e na década de 80 passou a ser servido também quando autoridades visitavam a cidade. Um movimento encabeçado pela confraria da Boca Maldita local levou a oficialização da iguaria como prato típico do Município em 1990, na gestão do prefeito Augustinho Vecchi durante a ocupação interina do cargo por Elmo Linhares. A 1ª Festa do Carneiro no Buraco foi realizada já no ano seguinte. Na primeira festa foram servidos 70 tachos, para cerca de 4.200 pessoas. Atualmente são 140 tachos para nove mil pessoas. Em 2003 por iniciativa da administração municipal foi transformada em Festa Nacional. 



O evento, que acontece sempre em meados de julho, acabou transformando o prato típico em verdadeiro símbolo de Campo Mourão, divulgando o Município em todo o Brasil e em outros países. 


Um dos divulgadores do Carneiro no Buraco e responsável pelo desenvolvimento da receita foi o artista plástico Tony Nishimura, homenageado atualmente através da Cozinha Única. 
Ao longo dos últimos 40 anos, o prato típico foi sendo aprimorado e hoje é tido como verdadeiro símbolo de Campo Mourão. Apesar do alto grau de dificuldade na preparação, está entre as comidas típicas mais divulgadas do sul do país, e os mourãoenses que dominam a técnica de preparação são convidados para fazer os pratos nas mais diferentes regiões do Brasil.



O prato típico de Campo Mourão é cozido em um buraco de 1,50 metros de profundidade e abertura de 1,05 metros, com dois metros cúbicos de lenha seca e um tacho de 30 polegadas, com tampa metálica. Os ingredientes do tempero são batidos no liquidificador, a carne cortada em pedaços pequenos, a qual deve permanecer por três horas na vinha. No tacho untado, a primeira camada é sempre de chuchu e abobrinha. Em seguida, alternam-se as camadas de carne e legumes. 



No final, colocam-se por cima os tomates, as cebolas e maçãs, inteiros. O restante do tempero que sobrou da vinha é despejado no tacho por cima de todos os legumes. Após a queima de dois metros de lenha no buraco, por um período de seis horas, é descido o tacho, que fica sobre as brasas e coberto com uma tampa metálica e vedado com terra.
 Ganchos especiais são usados na colocação e retirada do tacho. Após seis horas, a iguaria está pronta. O pirão é preparado com caldo retirado do tacho e farinha de mandioca torrada, além de cheiro verde e pimenta a gosto. O Carneiro no Buraco é servido acompanhado ainda de arroz branco e salada de almeirão. Pode ser acompanhado de vinho, cerveja ou refrigerante. Um tacho dá para cerca de 60 pessoas. 
Tempo de preparação: aproximadamente 12 horas.



Na noite de sábado dois rituais marcam ainda a Festa Nacional do Carneiro no Buraco. O primeiro é espetáculo “O Guardião do Fogo”, realizado na Arena do Parque de Exposições pela Fundação Cultural do Municipio a partir de recursos cênicos. No local é apresentada a história da criação do prato típico, desde a descoberta do fogo, até aspectos da recente colonização do Município, e finalmente a implantação do prato típico. 

Na mesma noite acontece o Ritual do Fogo, com o acendimento dos buracos, às 23h. Durante o ritual, autoridades, atiradores do Tiro de Guerra, entidades e patrocinadores conduzem o fogo com o qual serão acesos os buracos. O cortejo segue em caminhada pelo Parque até o Buraco nº 1, e depois ao Pavilhão dos Buracos e lá solenemente as autoridades fazem o acendimento num clima de magia e rara beleza. 
No domingo é realizado Ritual de Retirada dos Tachos, o mesmo cortejo se repete com a abertura do tacho nº 01 que marca o início do almoço com o delicioso Prato Típico Carneiro no Buraco.






Quem tem interesse em vir para a festa e que adquirir convites, acesse o site: www.carneironoburaco.com.br

Jac Bagis

6 comentários:

  1. que bacana ficou com vontade de ir .

    obrigada pela sua visita .

    ResponderExcluir
  2. Sensacional. É um evento mágico, sem dúvida.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  3. Daew ovelha, vc vai estar lá, pra ti comer o bburaco.

    ResponderExcluir