Dependência Emocional


Eu vi agora a pouco no facebook essa imagem acima e resolvi escrever um post sobre dependência emocional, no caso a alimentar.

Para quem não tem problemas com compulsão alimentar ou a dependência mesmo, julga a pessoa dizendo ser frescura ou desculpa, mas só quem tem o problema sabe do que digo.

Já tive dependência emocional alimentar. Com as crises de ansiedade descontava tudo na comida. É mais forte que a gente; por mais que se policie, não tem jeito, uma hora acaba sucumbindo ao desejo de comer e comer até se sentir melhor.

O meu aumento de peso se deram a vários fatores, mas o principal foi esse. Por vezes eu havia acabado de tomar o café da manhã e já pensava no almoço; muitas vezes adiantava o almoço para poder comer logo. E se estava ansiosa por qualquer motivo, estava lá eu mastigando. 

Eu nunca confidenciei isso a ninguém por vergonha. Nem mesmo na época que frequentava o divã da psicóloga falei sobre isso. Muitas vezes comia até passar mal e, assim que melhorava, comia novamente. Se estava feliz, comia. Se estava triste, comia pra me sentir melhor. E assim por diante.

Hoje conversando com o Agnaldo sobre alimentação e as mudanças que eu venho sentindo desde quando comecei a musculação, e então eu disse que estava estranhando que desde quando comecei a malhar não sentia fome como sentia antes. Aliás, tem vezes que como sem fome. Foi quando ele ressaltou sobre ansiedade, que ela faz com que tenhamos a falsa noção de fome. Gente, isso é incrível! 

Eu tenho me sentido liberta disso, pois estou me alimentando de forma consciente e eu tenho procurado mudar muitas coisas na minha alimentação e graças a Deus tenho obtido êxito. Sei que ainda tenho um longo caminho até chegar na minha vitória, mas não quero desanimar. Quero seguir em frente com foco, força e fé.

E eu quero repetir pra mim todas as vezes que estiver triste ou carente que meu estômago não precisa de comida. Ela não me ajudará em nada, pelo contrário. Nem a mim e nem a ninguém. Devemos comer para viver e não o contrário. E viva uma vida consciente e saudável!



Jac Bagis

4 comentários:

  1. Amei vc compartilhar isso conosco! Minha estória não é tão diferente da sua! Reconheçer essas coisas é que nos ajudam a mudar! Imagina quantas mulheres sentem isso e abapham! Eu mesma , fingia estar bem e não me importar aiaiai bj

    ResponderExcluir
  2. Eu tb como por compulsão, mas não acho q a culpa é só da ansiedade, inclui tb o stress, solidão e depressão...
    Comecei minha dieta nessa quarta, e depois do terceiro dia a fome foi embora, agora pra qualquer gordinha vencer a obesidade, o principal é a força de vontade e a determinação. Bjos, Jake.

    ResponderExcluir
  3. Isso é verdade, quando fico triste por qualquer motivo já penso logo em sair e comprar alguma coisa bem gostosa para comer, e na realidade nem estou com fome e nem é hora de refeição.
    Realmente é a maldita ansiedade que toma conta.
    Gostei muito do post.

    Bjkas

    ResponderExcluir
  4. Eu também faço parte desse clube nada seleto, vejo minhas cunhadas emagrecendo de nervoso e eu ao contrário engordo, acredita que até doente eu como mais, como se a comida fosse restabelecer a minha saúde!!

    ResponderExcluir